Governo detalha situação financeira

No início da tarde desta segunda-feira (24), o governador Robinson Faria deu mais detalhes sobre a situação financeira crítica enfrentada pelo Estado, durante entrevista ao jornalista Alex Viana e ao consultor Sêmio Timeni Segundo, do programa radialístico Meio Dia Cidade. O chefe do Executivo estadual explicou, entre outros pontos, como está sendo feito o pagamento da folha salarial. Diante da crise que abala todo o país, o Rio Grande do Norte está entre os 12 estados que pagam a folha fora do mês ou por faixa salarial; e mais de 20 enfrentam sérias dificuldades financeiras.
“Muitos me questionam como posso estar fazendo, por exemplo, uma obra tão grande como o anel viário, como posso estar saneando toda Natal, e o Governo não consegue pagar a folha em dia. É importante esclarecer que os recursos para cada fim vêm de uma fonte especifica e não podem ser utilizados para outra finalidade. Se fossem usados, seria crime de responsabilidade”, esclareceu o governador.
Segundo Robinson, o Governo Federal ajudou àqueles estados que tinham grandes dívidas com a União e não está ajudando os estados com dívidas menores, como é o caso RN. 
“O Rio Grande do Norte é o estado que possui a menor dívida com a União e mesmo assim foi esquecido. Uma crise é enfraquecida a partir do momento que os estados se fortalecem. Ao invés de o Governo Federal fomentar toda a federação, eles governam para cinco, seis estados, e esquecem os demais, e nós estamos entre esses esquecidos”, disse.
Questionado sobre a área de Segurança, o chefe do Executivo Estadual explicou que mesmo havendo uma crise nacional desde 2015, o Governo vem realizando melhorias, como a elaboração do Plano Estratégico de Segurança Pública, que estabelece ações até o ano de 2020, e citou outros avanços.
"Estou otimista. Mesmo com a violência aumentando em todo o Brasil, nosso governo melhorará o padrão da segurança no estado. Estamos enfrentando a crise, temos uma polícia motivada, trabalhando muito. Realizei mais de seis mil promoções de carreira que estavam represadas há anos. Teremos uma resposta ainda melhor com as instalações dos bloqueadores de celulares nos presídios, ação que começamos e estamos dando continuidade. Até o final do ano lançaremos os editais dos concursos das Polícias Militar e Civil, Itep e Bombeiros para termos condições de melhorar o policiamento nas ruas", declarou e finalizou a entrevista pedindo a bancada federal para manter o apoio à sua governabilidade.
 


0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.